quinta-feira 21, outubro 2021

SANTA MÔNICA CLUBE DE CAMPO INAUGURA CAMPO DE 18 BURACOS

O Santa Mônica Clube de Campo, localizado na região metropolitana de Curitiba,    conta com 44 modalidades esportivas, dentre elas, o golfe, que fica atrás apenas da natação, futebol, musculação e tênis no número de praticantes. No último sábado, dia 4, foi inaugurado os 18 buracos do campo, com nível técnico elevado e com quase 7 mil jardas, um marco para a história do clube, que vinha trabalhando no desenvolvimento do mesmo há mais de 20 anos. Pela manhã, foi realizado um Torneio Festivo (Trincas Scramble), que envolveu cerca de 90 golfistas convidados, posteriormente aconteceu a cerimônia oficial da inauguração, na Sede do Golfe.

O presidente da Federação Paranaense e Catarinense, Sakae Tamura esteve presente na inauguração e se mostrou entusiasmado com o desenvolvimento do clube. “O Santa Mônica é uma promessa no golfe, em breve irá sediar grandes eventos. Possui um layout muito interessante, os buracos 1, 9 e 18 se localizam próximo a sede de golfe, o que facilita muito aos jogadores, pois iniciam e terminam a partida no mesmo local, poucos são os clubes que possuem essa característica. No meu ponto de vista, o diferencial que o Santa Mônica apresenta aos seus sócios é a praticidade no lazer para toda a família, é um grande complexo esportivo que não necessita deslocamento, todos os esportes em um mesmo local. O potencial que o clube apresenta é imenso, tem tudo para aumentar o número de praticantes, contudo, o golfe também é muito interessante,  pois permite ao jogador uma liberdade em suas partidas, podendo jogar sozinho, em duplas ou em grupos, não é como outras modalidades, como o futebol, por exemplo, que para acontecer precisa de um número mínimo de participantes”, afirma.

O Diretor de Regras da FPCG, Fraçois Cazabom é um dos responsáveis pelo redesenho do campo, que contempla uma área de 30 alqueires. Todo seu conhecimento como árbitro internacional da Profissional Golfers Association – PGA e participação nos Jogos Olímpicos do Rio 2016 o auxiliaram neste desafio. “Foram muitas horas de estudo, de Google Earth, para conseguirmos mudar o projeto. A beleza visual do campo encanta os praticantes, que ao jogarem passam por diversos locais que enchem os olhos, como lagos, árvores e vista panorâmica da cidade.”, destaca. François também é associado do Santa Mônica Clube de Campo.

O projeto inicial do campo foi redesenhado em 2010, na gestão do Diretor de Golfe Arnaldo da Costa, um trabalho realizado em equipe com a dupla François Cazabon e Julio Azevedo, profissional de Golfe que trabalha no Clube, que depois de muitas horas de estudos e caminhadas no local, deixaram o projeto mais enxuto, tornando o campo mais suave, com um melhor aproveitamento do relevo local, com menos descidas e subidas. O campo de Golfe moniquense é o mais longo do Estado e promete com os devidos acabamentos ser um dos os melhores do Paraná.

A gestão atual, presidida por Aniceto Zanuzzo, há cinco anos, pegou o Campo de Golfe com 10 buracos e concentrou as atenções para que o projeto saísse do papel. De acordo com o presidente, a conclusão dos 18 buracos só é uma realidade hoje, porque o Clube fez uma permuta histórica em 1988, na Gestão do Presidente Omar Rachid Fatuch, com a União, de 51 alqueires, área onde se localiza o campo de golfe. “Sem essa área, não teríamos local para construir uma obra deste porte.  Desde o Fatuch, cada gestão sucessiva, deu sua contribuição para que o esporte se desenvolvesse. Estamos muito felizes em entregar mais esta obra aos associados e aos golfistas de todo o Paraná. Disponibilizaremos um campo oficial para a prática do Golfe com 18 buracos e acesso asfaltado, com excelentes condições para sediar grandes competições, pois atende todos os requisitos da Confederação Brasileira de Golfe”, revela.

O Presidente da Confederação Brasileira de Golfe, Euclides Gusi, também esteve presente prestigiando o evento e afirma que construir um campo de golfe de 18 buracos é de extrema importância para o desenvolvimento do esporte no Brasil. “Este é um grande passo do Santa Mônica. As vantagens são imensas, com 18 buracos, o campo comporta muito mais jogadores simultaneamente. Os golfistas ganham mais nove desafios diferentes. Com esse padrão de campo, o Clube poderá sediar torneios com um maior número de competidores. O golfe brasileiro, apesar de ter mais de 100 anos, ainda é um bebê. Temos um potencial imenso para crescimento. A entrada do esporte nas Olimpíadas deu muita visibilidade, mas ainda há muito a se fazer. Certamente, iniciativas como a do Santa Mônica só ajudarão a desenvolver este esporte”, afirma.

Após a inauguração oficial dos 18 buracos, o clube já se prepara para seu primeiro evento oficial de 2017 válido para o ranking da Federação Paranaense e Catarinense de Golfe, trata-se do 14º Aberto de Golfe do Santa Mônica Clube de Campo, o torneio acontece nos dias 10 (treino) 11 e 12 de março, para mais informações clique aqui.

 

IMG_4300 IMG_4303

IMG_4302

16938608_1269906499731711_8810958666910172327_n 17098473_1269906296398398_1585444339429604392_n 17155791_1269906623065032_1793345056806098627_n 17156140_1269907019731659_6553787552897277683_n 17156258_1269907769731584_4054462391262623170_n 17190346_1269906343065060_8953762503579923158_n 17201201_1269906086398419_3817145810941029959_n 17201352_1269906406398387_2786751745390897112_n 17203121_1269907833064911_4847903366466520870_n

.

Gabriel Gallego é o segundo paranaense convocado para Sul-Americano no Equador

O paranaense Gabriel Gallego será um dos quatro golfistas a representar o Brasil no XXXII …

Deixe um comentário